Carcinoma invasivo na mama

Geralmente um carcinoma se inicia dentro de um ducto, e cresce no seu interior (carcinoma in situ).

Quando atravessa a parede do ducto é chamado de invasivo ou infiltrante.

Geralmente um tumor maligno palpável é invasivo.

Quando a mulher procura um mastologista logo que encontra uma diferença na mama, este tumor tem em media 80% de cura.

Tumores invasivos detectados somente pela mamografia ou ultra-sonografia tem cerca de 90% de cura.

O Carcinoma invasivo de mama é o mais comum e atinge 1 em cada 8 mulheres, razão pela qual o conhecimento sobre este assunto esta evoluindo rapidamente.

A especialidade de mastologia se dedica a este estudo.

Atualmente a grande maioria dos carcinomas invasivos de mama são curáveis.

Cura significa que a paciente, mesmo vivendo mais 40 anos após a cirurgia não morrera deste câncer ou de suas metástases.

A alta curabilidade hoje é devida a atitude da mulher de procurar um médico especialista logo que encontra uma alteração na mama e o tratamento clínico (adjuvante) após a cirurgia.

A curabilidade do tumor depende não só do seu volume como também do grau de comprometimento dos gânglios.

O tratamento consiste geralmente na cirurgia conservadora, seguida de radioterapia (tratamento com aparelhos que emitem radiações), mas dependendo da proporção entre o tamanho do tumor e da mama é preferível realizar a retirada total da mama que quase sempre permite reconstrução imediata.

Algumas vezes o tumor é pequeno, mas existem minúsculos tumores ao redor que nos obrigam a realizar a retirada da mama.

O planejamento cirúrgico da cirurgia conservadora é baseado na minuciosa analise das informações obtidas pelo exame clinico, mamografia e ultra-sonografia, que nos indica os melhores locais para retirarmos o tumor com margens de segurança.

A presença do patologista durante a cirurgia nos permite ampliar alguma margem que não estivesse adequada.Estes cuidados em conjunto permite maior numero de cirurgias conservadoras, melhor estética e mais eficácia no tratamento.

A retirada da mama não significa que o caso é pior que quando se conserva a mama.

A cirurgia de tratamento em conjunto com a equipe de plástica costuma permitir um resultado estético melhor.Algumas vezes o resultado estético após a cirurgia é melhor que o anterior.

A técnica do linfonodo sentinela permite evitar o esvaziamento dos gânglios axilares na maioria dos tumores e torna o pós-operatório mais ameno, além de evitar os problemas no braço que às vezes ocorre.

Esta técnica, apesar de relativamente nova no nosso meio, nossa equipe tem grande experiência.

Quimioterapia (tratamento com remédios) é freqüentemente usada no pós-operatório e atualmente apresenta poucas reações colaterais.

Às vezes usa se a hormonioterapia que na maioria dos casos é inócua.

" O otimismo melhora ainda mais as probabilidades de cura."



produzido por ProWeb